quarta-feira, 11 de abril de 2012

Uma breve história de Juazeiro do Piauí

O nome da cidade de ''Juazeiro'' deu-se ao fato da existência de um pé de Juá onde os comboios, que por aqui passavam, usufruíam de sua sombra. Era apenas uma leve parada de descanso ao destino incerto(ou quase incerto)daqueles que cruzavam o sertão de forma heroica a procura de novas terras para manter sua subsistência. Comboios que ao meu entendimento tinha como destino a então cidade; Marvão, antiga Rancho dos Patos, hoje batizada Castelo do Piauí. Depois de alguns anos marcaram território as primeiras famílias que aqui residem como; Alves, Macedo, Lima, Matos; um pouco depois; Visgueira, Dutra, etc.[em breve procurarei contar a história de cada família; de onde vieram, onde residiam, e algumas histórias de cada família.
Mas a história de Juazeiro é bem mais ampla; aqui temos histórias de escravos, guerras, até mesmo de mortes bárbaras, como a da escrava Teresa: que matou sua Sinhá, uns dizem que foi com um prego na testa outros dizem que foi com uma barra de anágua; mas o que se sabe é que o fim da pobre escrava foi triste, nem muito injusto para a época. Mas como se trata de uma história muito antiga que quase perdeu-se no tempo, temos, que, de alguma forma, transmitir o que nos restou mesmo que seja de forma teórica. Nas próximas postagens vou detalhar toda essa história da escrava que teve seu cúmplice também morto de forma mais bárbara(um jovem escravo que não se sabe o nome). Nossa história quase ninguém sabe, mas lhes garanto que é bem mais velha do que eu e você imagina.


Força e Honra...

Ezequiel Lima

11 comentários:

  1. Bacana o blog, relamente Juazeiro te muitaissimas belezas naturais, e graças a Deus tive o prazer de conhecer garnde parte delas, principalmente essas cachoeiras, onde banhei em várias, em momentos de higiene mental.
    Agora uma coisa que sempre me intrigou foi o nome da cidade, pois nas cidades de minha mae e pai, na grande regiao de Picos(PI) tem muito Juazeiro e eu conhecço bem a arvore, e pouco se vê um Juazeiro na cidade de Juazeiro do Piaui(PI), agora com esse post, pude entender o motivo.
    Ass: Giulliano Alencar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Giulliano. Valeu pela força, e esteja sempre acompanhando nossa história.

      Excluir
  2. Parabéns Ezekyel por contar um pouco da Historia de nossa cidade maravilhosa que é Juazeiro do piauí.
    Boa sorte com seu Blog.
    (LEANDRO VISGUEIRA)

    ResponderExcluir
  3. Eu conheço essa história da negra Teresa, com algumas variáveis, mas no final, creio que se trata da mesma história. Quanto ao prego na testa, em conversa com o tio João Wilson Lima, ele me falou que o prego foi em outro caso, também em Juazeiro, de um homem que sendo casado, ficou interessado em uma moça, ao que sua esposa faleceu misteriosamente e foi atribuído problema cardíaco. Com a viuvez, o marido pôde casar novamente com a tal moça. Anos mais tarde, foram enterrar novo membro da família, e cavaram acidentalmente na mesma cova da esposa que morrera anos antes, e encontram um crânio com um prego enfiado na testa. Descobriram se tratar da esposa devido às roupas que ainda estavam em decomposição, bem como o cabelo e outros detalhes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Robson...Informações preciosas.

      Excluir
  4. Bem legal a matéria! Estou bem curiosa para saber as histórias das famílias!
    Parabéns pelo blog. :D

    ResponderExcluir
  5. Parabéns, Belo Blog Meu Caro, Mais Você Não Acha Que Ha Algo Mais Interessante Pra Falar Não? A Cultura de Juazeiro é Muito fraca Pra Virar Historias de Blog. Só Estou Te Dando Uma Dica, Você Tem Muito Talento Não Desperdice Seu Talento Com Essa Cultura Fraca e Sem Importância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro, não fiz esse blog com intuito de ganhar fama. Simplesmente foi o meio mais fácil que encontrei para informar as histórias á população e divulgar meus estudos. Agora se você não gostar basta não acessar mais. ora...

      Excluir
  6. Ezekiel,

    O comentário acima, que mereceu sua resposta, é de alguém que não merece crédito. Além de não ter a coragem de se identificar, é inculto. Não existe cultura fraca, superior ou inferior, mas sim, cultura diferente. Continue nos informando sobre a nossa história, que é rica e importante para as atuais e futuras gerações. Força, garoto!

    Um abraço,

    Oliveira Alves, do Juazeiro Alerta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Oliveira Alves. Obrigado pela força.
      Você é de onde? Lhe conheço?

      Excluir
  7. Acredito que sim. Sou juazeirense, nascido no Olho D'água Grande, historiador e pedagogo. Oliveira Alves é meu codinome de blogueiro. Sou irmão da Ireuda, do Tonho Veríssimo etc.

    ResponderExcluir